Notícias

Home  >  Notícias  >  Atualidades  >  Pela primeira vez, Microsoft registra prejuízo

Hardware | Eventos | Mobile | Cloud Computing | Software | Certificados e Treinamentos | Mídias Sociais | Emprego | Atualidades | Segurança
       
Atualidades
 
Microsoft (Foto: Divulgação)
Pela primeira vez, Microsoft registra prejuízo

Desde a abertura de capital da Microsoft, em 1986, a empresa fundada por Bill Gates e Paul Allen jamais havia registrado prejuízo. Até agora. Na quinta-feira (19), a companhia revelou que obteve seu primeiro prejuízo trimestral neste ano. As informações são do Info Online.

Foram 492 milhões de dólares de danos, o que equivale a 0,06 de dólar por cada ação na bolsa. Como comparação, no mesmo período em 2011, cada ação custava 0,69 de dólar, em um lucro de US$ 5,87 bilhões.

Não foi surpresa, contudo, a baixa nos lucros. A própria companhia já tinha anunciado que sofreria o revés depois de comprar a aQuantive. O valor esperado de prejuízo era de US$ 6,2 bilhões.

Mas nem tudo é ruim para a Microsoft. As vendas continuam em boa fase e registraram crescimento de 4%, o que representa US$ 18 bilhões a mais para o caixa.

Com esperança de recuperar os bons números a que estão acostumados, o CEO Steve Ballmer lembrou dos lançamentos que farão ainda neste ano e que devem impulsionar as vendas, como o Office 2013 e o Windows Phone 8.

 
Mais Notícias
avatar
Mudança de endereço
A SecrelNet comunica que a partir do dia 16/08/2016, o setor de Atendimento está funcionando em novo endereço.(...)
google
Comissão Europeia acusa a Google de abuso de posição dominante em buscas
A Comissão Europeia acusou formalmente a Google de abuso da posição dominante no segmento da busca online.(...)
post_iphone
Americano processa Apple em US$10 bilhões por “roubar” projeto do iPhone
Morador da Flórida, Thomas Ross afirma que empresa de Cupertino violou uma patente de 1992.(...)
udemy_
Como a Udemy tem usado a economia compartilhada para democratizar o ensino
Market place de ensino online conta com 20 mil instrutores e 11 milhões de estudantes. (...)